sábado, 5 de abril de 2014

... Eles ...




... Conhecem-se ... Gostam-se e querem-se. Existe entre eles um permanente e eléctrico tesão.
Quando se pensam, anulam distâncias e seguem, juntos, pela estrada da imaginação.
Quando se encontram, a tua cona se abre e o meu caralho cresce e endurece.
E então acontece ..... Atração .... Íman poderoso ....
Não existe maior tesão que pegar no meu caralho ... acordá-lo com dedos, língua, lábios, boca ... e depois conduzi-lo até á sua cona que, doce, o espera em ânsia total ....


segunda-feira, 31 de março de 2014

Dentro ... Fundo ... Urgente.

... Chega o momento. Quero -TE. Dentro ... Fundo ... Urgente.

Como se não conhecesses o caminho ... como se fosse a 1ª vez ... a tua 1ª vez ... toda eu sou dedos abrindo a cona para ti. Peço ... imploro ... penetro-me asfixiada de tesão. Não me chega. Olhas as minhas investidas, e aos meus dedos somam-se os teus. Sentes o rio. Nascente ou foz pouco importa. Dedos. Dedos. Dedos. Tocas. Exploras. Abres. Preparas-te para tomar posse do que te pertence. Cerro os olhos, mas num segundo os abro e fixo-os nos teus. E sinto então o teu caralho, vibrante, quente, ocupar-me. Entras todo até ao meu fundo. Sais. Voltas a entrar .... Expludo em orgasmos e a minha voz sai rouca - mais ... mais ... mais ...






sábado, 29 de março de 2014

Sinto ......


Sinto em meu corpo sua língua.
Que me arde
Como se fosse um chicote de fogo.

E mesmo que eu não queira me induz
a jogar o seu jogo.

Me entorpece os sentidos, abafa-me os
gemidos até provocar o meu gozo.

Que poder é esse?
Que sedução devassa, é essa que sinto sempre

que você me abraça?

Só de lhe ver me arrepia a pele, em
choques térmicos.
E me rendo pacífica aos seus desejos hipotéticos.

Me excita e me choca a sua ousadia.
Mas sempre mais e mais, como num crescendo,

embarco na sua fantasia.

E quando entregue aos nossos devaneios sentindo em meu
corpo os seus meneios, nada mais importa.

Abrimos do desejo as portas, simplesmente porque você é meu homem e eu...
sou sua mulher...




domingo, 3 de junho de 2012

Delírios da tarde







Traz-me tua boca e deixa que pouse
aqui sobre os meus seios. A tarde vai
pelo meio e desde a aurora o corpo meu
sedento te deseja.

Dá-me tua língua em minha língua para
que eu te excite, movimentos meus no
céu da boca e dentes, lábios quentes sobre
os teus deixam escapar gemidos.

Fecha os olhos, deita enquanto esfrego em
tua pele meus mamilos; tua bunda e coxas
minha boca e dentes. Ouve o meu pedido
urgente em teus ouvidos.

Sente os movimentos ondulantes meus quadris
em tuas ancas, sobe e desce lento e mexe e vira
e olha, sente. Segura meus quadris em tuas mãos
e gira e gira e puxa e tira e puxa novamente.
Olha.

Meu olhar para ti flameja e o ar me falta. Tua
boca nos meus seios, gemo. Tua mão meus pêlos,
púbis, grito. Minha voz e teus gemidos, minhas
mãos tentam tocar o infinito enquanto gozo
louca no teu colo, enquanto sinto teus
espasmos dentro.

Findo.
Minhas mãos na tua pele em lanhos do meu desejo.
Marcas púrpuras do teu beijo em meu pescoço.
O suor da tua pele no meu corpo.

Canso. E adormeço nua e acolhida em teu abraço.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Kero foder-te assim.....

 
Entesares-te dentro da minha boca...até me dares esse leitinho delicioso que é meu...ahhhhhhhhh...tesão infinita!!!!!!!!!!!!!!